quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Em Meio a Falsa Religiosidade, Ainda há Remanescentes!

Por Pastor Sérgio Pereira

Uma coisa precisa ser admitida por qualquer cristão honesto que olhe para a situação da Igreja atual como um todo. A Igreja não é saudável, ela não está bem. O pecado está brotando excessivamente em seu interior e se enraizando profundamente, destruindo, dividindo, invertendo os valores bíblicos e fazendo dela, a Igreja, um sistema manipulado por pessoas tomadas por espírito que certamente não é o de Deus.
Um exemplo disso é que a imoralidade sexual, o adultério e a fornicação se tornaram tão comum dentro da Igreja quanto fora dela. Os índices de divorcio hoje são maiores dentro da Igreja do que fora dela. Muitos membros da Igreja estão secretamente praticando o aborto. A cada dia estão sendo expostos novos pecados que estavam escondidos. Heresias e sectarismo aumentam com frequência cada vez maior.
Grande número de membros de Igreja cujas vidas são uma verdadeira contrariedade aos princípios doutrinários da Palavra de Deus. Muitos deles têm estado assim há muitos anos e parece que nunca irão mudar. Parece não existir ou se existe é quase imperceptível a transformação de vidas. Grande número dos frequentadores de Igrejas é de pessoas rebeldes, egoístas, não amorosas, avarentas e profanas. Muitos são desonestos, caluniadores,não confiáveis, fofoqueiros, mentirosos e desobedientes. Infelizmente, em muitas igrejas locais, esses formam a maioria e não a minoria.
A vida dupla, hipócrita, relaxada e desleixada com as coisas espirituais tem sido notória em meio da religiosidade atual. Na verdade classificaria a atual geração evangélica corrompida pela profanação de elementos sagrados e pela sacralização de elementos profanos como “coadores de mosquito e engolidores de camelos” (Mt 23.24).
No púlpito então, a situação é desconfortante: as mensagens transmitidas só fazem cócegas na alma quando muito. A teologia da prosperidade encontra no evangelicalismo brasileiro o seu maior expoente. Os pregadores modernos preocupam-se mais com a venda de seus materiais (CDs e DVDs), do que com a exposição clara, correta e sadia da Palavra de Deus. Fala-se o que o povo quer ouvir, não o que se precisa ouvir. Os sacerdotes e profetas da atualidade tem-se transformado em fantoches e marionetes nas mãos dos marqueteiros evangélicos que visam apenas à obtenção de lucros. Os sacerdotes profissionais vendem suas consciências, os profetas de conveniência estão profetizando mentiras ao povo.
A liturgia, essa então, está cheia de pompa, glamour. Há um ritual pomposo, mas o povo está longe de Deus (Is 29.13), o povo está enfermo, fraco e há muitos que dormem (I Co 11.30).
Certamente há alguns focos de luz. Nem tudo está perdido. Nem tudo é trevas. Há alguns e graças a Deus por eles, que são genuinamente convertidos. É possível encontrar aqueles que sinceramente estão buscando o Senhor. Os remanescentes são compromissados com a Palavra e com o povo, não visam o seu bel prazer. Os remanescentes, na maioria das vezes, são pessoas insignificantes, mas não se preocupam com isso, eles querem que o Senhor cresça e eles diminuam (Jo 3.30). Os remanescentes não se dobram diante de Baal (I Rs 19.18), não comem na mesa de Jezabel (I Rs18.19), não se curvam perante a estátua de Nabucodonozor (Dn 3), não se importam se Deus vai abençoar ou não, eles O servem por causa do que Ele é, não pelo que Ele faz.
Aqui e acolá, os remanescentes estão resplandecendo como astros no firmamento (Fp 2.15) no meio de uma geração corrompida. São pequenos focos de luz, pequenas mechas de luminosidade que irradiam a presença do Senhor, onde quer que chegam.
Creio que temos alguns sete mil que não se dobraram, alguns Micaías que profetizam aquilo e somente aquilo que o Senhor mandar (I Rs 22.14). Sim, ainda há remanescentes, eu faço parte desse grupo, e você?

14 comentários:

Newton Carpintero, pr. disse...

Prezamado pr. Sérgio Pereeira,

A paz do Senhor!

Bom ter lido a sua matéria, dura e pesada para muitos que estão desviados dentro da igreja e cegos espiritualmente por diversos ensinos perversos e de má fé com apenas interesses no financeiro.

Bom ter lido a sua matéria, saudável e inspiradora que causa alegria aos corações desejosos de ver o triunfo do Evangelho da Verdade, sendo proclamado sem medo e com coragem por quem é criticado por soberba espiritual ou por querer ser santo demais.

continue pastor, nesta sua decisção de não se dobrar diante dos deuses deste mundo que jaz no mallígno, e que somente reconhecemos a igreja invisível pela misericórdia de Deus em nossas vidas.

O Senhor seja contigo!

pr. Newton Carpintero
www.pastornewton.com
www.jesus-e-voce.com
www.editoresapologeticos.com

Marcello de Oliveira disse...

SHALOM!

1. Amado Pr Sérgio, parabenizo por este ótimo texto. Infelizmente a nossa geração perdeu o discernimento. Tudo o que se fala no nome de Deus é válido. Como disse em meu livro: "Estamos vendo uma igreja que tem carisma, mas não tem caráter. Uma igreja protestante que não protesta contra o pecado. Uma igreja que tem extensão, mas não tem profundidade. Ela é grande, mas não causa impacto. Contudo, há ainda "7000" que não se curvaram ao Baal moderno!

um abraço!

Pr Marcello de Oliveira

P.s >> Veja o último texto:

Serei para Israel como o orvalho

Pr. Sérgio disse...

Prezado Pr. Newton Carpintero, graça e paz!
Como sempre sua participação enriquece esse blog. Precisamos denunciar aqueles que se dobram diante dos deuses desse século e com voz de autoridade apontar-lhes o verdadeiro caminho.
Obrigado pelas palavras de incentivo!
Um forte abraço!

Pr. Sérgio disse...

Prezado Pr. Marcelo de Oliveira, graça e paz!
Suas palavras são sempre bem vindas por aqui. Realmente nossa geração não tem discernimento quanto às ilícitas práticas que permeiam o meio evangélico. Nesse contexto permite-se cada vez mais os usos e abusos em nome de fé.
Um forte abraço!
Pr. Sérgio Pereira

MINISTÉRIO BATISTA BERÉIA disse...

Graça e paz Pr. Sérgio. A inpressão que eu tenho que estamos vivenciando nos dias de hoje, os dias de Habacuque. Pessoas, líderes e igrejas sérias andam orando por mudanças, mas o que vemos é a cada dia a coisa ficar pior. Mas assim como foi nos dias de Habacuque o Senhor preservou o justo que viverá da fé. Podemos ser poucos, mas não nos vendemos a essa teologia de mamom. Que o Senhor nos ajude a preservarmos a fé que uma vez nos foi dada de forma íntegra e sem mácula.
Que Deus nos abençoe.
Fique na Paz!
Pr Silas

Pr. Sérgio disse...

Nobre Pr. Silas, graça e paz!
Agradecido por sua ilustre visita a esse singelo blog.
Verdadeiras e oportunas são suas palavras. Nos dias de Habacuque tinha de um lado a escassez moral, social e espiritual; por outro lado, a intercessão por uma mudança radical na nação. Hoje, basta decidirmos em que lado ficaremos. Eu já decidi o meu!
Um forte abraço!

Alberto Couto Filho disse...

Pr. Sérgio,
A paz

Estou, através deste seu esclarecedor espaço, responsabilizando, unicamente, as lideranças nas igrejas por todas as mazelas citadas nesta sua brilhante exposição.

Agora mesmo, ao final do mês em curso, aquele nosso livro será publicado. Ali eu menciono essas coisas ruins que estão ocorrendo em nossas igrejas e abordo, também, sobre o caráter inculpável, o caráter irreprovável e a conduta irrepreensível exigida aos nossos líderes.

Além de falar de alguém que, para liderar, não motiva acusações e que está acima de reprovações, proponho a institucionalização de um desenvolvimento da liderança que venha a se constituir em Alvo Educacional, numa Estratégia e num Processo, dentro de nossas igrejas.

Arrazoei, todavia, em capítulo atinente, que não poderá ser permitido a esse líder que a direção do Espírito Santo se situe abaixo de regras, disciplinas, razões intelectuais ou de experiência humanas.
Meu texto, no que concerne a este assunto, “a falsa religiosidade”, parte de observações irrefutáveis, tais como:
“Sob a direção de um forte general, não haverá jamais soldados fracos” – Sócrates;

“Não há pelotões fracos – apenas líderes fracos” – Gen. Willian Creech;

“Não há equipes fracas, apenas líderes fracos” – Hunter

“Não havendo profecia, o povo se corrompe; mas o que guarda a lei, esse é feliz” – Salomão (Pv 29:18)

Alberto Couto Filho disse...

“Não havendo profecia, o povo se corrompe; mas o que guarda a lei, esse é feliz” – Salomão (Pv 29:18)

Esta única justifica plenamente o perecimento do povo de Deus. A profecia é a visão e, sendo ela a base da liderança, esses líderes que dela não se valem, estão conduzindo as pessoas ao caos e à improbidade citada em seu artigo.
É simples: A liderança, para que venha a ter um propósito, assim como a vida, para que tenha um significado, carecem da visão de Deus. É a visão, imagem de um futuro bem melhor, que provoca paixão no líder cristão e, por conseguinte, é esta paixão que as pessoas, em nossas igrejas querem seguir.
Não havendo profecia, o povo se corrompe pode bem significar: “Sem a orientação de Deus, a lei e a ordem desaparecem, isto é, sem visão o nosso povo perece.

Temo, sinceramente, que já não sejamos 7000 que não se dobraram a Baal. Temos ai uns “cegos espirituais” que teimam em não querer identificar, em muitas dessas nefastas ações, a Jezabel, “cumpanheira” de Acabe.
Parabéns Pr. Sergio Deus por não buscar cavernas para se ocultar desta ignomínia reinante em nossas igrejas e por entender que, quando Deus disse a Elias ter preservado seu povo, ele falou de crentes que ficariam de pé, acautelados, guarnecidos, fortes e verdadeiros como o meu preclaro amigo.
Você, nobre amigo, verá em meu texto: “Manda que debanda”, “Domina que arruína”, “Ora que melhora” e “Lidera que supera”.
Curioso? Aguarde
A paz
Alberto Couto Filho


Estou por lá falando sobre os azemeleiros. Comente.

Pedro Henrique disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pr. Sérgio disse...

Nobre amigo Alberto Couto Filho, graça e paz!

Meu preclaro amigo entendeu tudo e muito mais do que eu quis dizer ao propor essa reflexão. Realmente parece que o número dos remanescentes atuais parece bem menor dos que os sete mil dos dias de Elias, mas continuo crendo, que embora não apareçam e não deêm "a cara pra bater", estão cultos aqui e acolá.

Continuemos nessa coragem inapagável, combatendo os modismos e fazendo prevalecer a pureza do Evangelho do Reino!

Um forte abraço!

Pr. Sérgio Pereira

Emilio Medeiros disse...

Caro e nobre pr. Sérgio graça e paz, maravilha divinal sua mensagem ja li no programa a voz da Ass. de Deus foi uma benção...
valeu meu irmão um abraço

Pr. Sérgio disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pr. Sérgio disse...

Nobre Pr. Emílio, graça e paz!
Fico inteiramente lisonjeado pela apreciação e mui feliz pela mensagem ter lhe sido útil na realização de seu programa radiofônico. Vindo de sua pessoa, esse elogio muito me dignifica.

Um forte abraço!

Pr. Sérgio Pereira

flavio disse...

Por faltar profetas e sobrar profetadas e que muitos espiritos de jezabel tem feito das igrejas de hoje com que muitos se sintam perseguidos e fujam para as cavernas da vida que o senhor nao so conserve os remanescentes mas que tbm levante outros para serem boca de DEUS nesta terra corrompida