segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Reforma e Reavivamento: Crescimento Contagiante da Igreja

Apesar de 31 de outubro já ter ficado para trás, minhas ocupações pastorais não me deixaram postar alguma reflexão sobre a Reforma. Como sei que os princípios da Reforma precisam ser evidenciados todos os dias, coloco a reflexão a seguir para a apreciação de meus leitores.


Por Pastor Sérgio Pereira

No ultimo 31 de outubro comemorou-se os 492 anos da Reforma Protestante, que foi levada a efeito por Martinho Lutero em 31 de outubro de 1517, quando fixou suas famosas 95 teses na porta da igreja do Castelo de Wittemberg, na Alemanha.
Com efeito, as bases da Reforma Protestante ainda continuam a falar entre nós. Penso que hoje, elas bradam ainda mais fortemente do que há 492 anos atrás. Nunca esses princípios se tornaram tão importantes como nos dias em que estamos vivendo. Os pilares expostos pela reforma precisam ser reafirmados e vivenciados por pessoas ávidas e sequiosas por mudanças radicais e que ensejam estar perante a face de Deus. Os ensinamentos da Reforma podem ser resumidos em cinco pontos: (1) Sola Scriptura: Somente a Palavra de Deus; (2) Sola Gratia: Somente a Graça de Deus; (3) Sola Fide: Somente a fé; (4) Sola Christus: Somente Cristo; (5) Soli Deo Gloria: Somente a Deus dar glória.
Penso que tais pilares traduzem necessariamente a idéia de um reavivamento espiritual. Um retorno bíblico e cristocêntrico da Igreja pós moderna. O avivamento está intrinsecamente ligado ao crescimento da Igreja. Sob certas condições, pode-se afirmar que o reavivamento causa o crescimento da Igreja.
Reavivamento significa primeiramente purificação e vitalização da Igreja existente. O reavivamento é um dos principais meios de Deus para vivificar a sua Igreja e desenvolver seu programa de justiça, misericórdia e evangelização.
Heber Carlos de Campos diz que: “Reforma é a descoberta da verdade bíblica que conduz à purificação da teologia. Ela envolve a redescoberta da Bíblia como o juiz e o guia de todo pensamento e ação; ela corrige os erros de interpretação; ela dá precisão, coerência e coragem para a confissão doutrinária; ela dá forma e energia à adoração corporativa do Deus triúno”. E acrescenta: “O norte de uma reforma dentro da igreja de Deus está, inquestionavelmente, relacionado à volta aos princípios sadios de fé e prática, propostos pela Santa Escritura. A fé tem que ser fundamentada numa consciência cativa à Palavra, para que a verdadeira reforma aconteça em nosso meio” [1].
Na verdade vivenciamos uma época em que a verdade da Palavra de Deus encontra-se escondida, o que provoca nos crentes pós modernos aridez, sequidão e distanciamento de Deus. Uma volta à Palavra se faz necessária para ocasionar nos meios evangélicos um reavivamento, um ardente desejo por Deus e assim experimentar um vertiginoso crescimento para o Reino de Deus
Não há meio de separar reforma de reavivamento. Parecem irmãos gêmeos nos grandes feitos do Senhor. Quando os dois entram em evidencia, o resultado é um contagiante crescimento na Igreja. Quando Deus concede o reavivamento ao seu povo, o padrão normal é que a santidade de vida aumenta, um novo poder é experimentado e o Evangelho de Cristo é proclamado com fervor, paixão e devoção. O reavivamento conduz a Igreja a uma vida santa, ética e moral. O reavivamento é uma força geradora de poder, dinamismo e fé. O reavivamento impulsiona o cristão a proclamar o evangelho com eficácia, perspicácia e objetivo.
Porque olharmos para o crescimento da Igreja sob a ótica de reforma e reavivamento? Heber Carlos de Campos responde: “Quando falamos de crescimento de igreja temos que olhá-lo como uma moeda com dois lados. De um lado é a Reforma; do outro e o Reavivamento. A primeira traz a solidez e a pureza doutrinárias, elementos essenciais para que a igreja cresça qualitativamente; a segunda traz a verdade doutrinária extrema viva e ardente em nossos corações, impulsionando o povo de Deus a uma vida limpa e de testemunho sincero e voluntário da experiência vivida com Deus e a pujante proclamação da verdade da Escritura, elementos absolutamente vitais para o crescimento da igreja. Isto faz com que a igreja também cresça quantitativamente. Perceba que os dois elementos, reforma e reavivamento, são entrelaçados e inseparáveis, porque são causados pelo mesmo Deus. Não há volta à verdade sem Deus e muito menos amor à verdade sem Ele. O curioso é que esses dois elementos estavam presentes em todos os grandes movimentos da história do povo de Deus no VT, no NT , na Reforma Protestante do século XVI, no período dos Puritanos, do Pietismo e do Metodismo, além dos reavivamentos posteriores na Grã- Bretanha e nos Estados Unidos”.
Reforma e reavivamento estão vinculados à Palavra de Deus. A Escritura é o padrão para a Igreja. É ela que contém o manual prático para a eficiência na busca de um vertiginoso crescimento quantitativo e qualitativo da Igreja.
Reforma e reavivamento levam à praticidade da vida cristã autêntica. Padrões éticos e morais são evidenciados por cristãos “... irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis, no meio de uma geração corrompida e perversa, entre a qual resplandeceis como astros no mundo" (Fp 2.15). Cristãos que cumprem a determinação de Jesus que diz: "Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus." (Mt 5.16)
Busquemos o crescimento da Igreja, mas busquemos antes a reforma e o reavivamento. Reforma da nossa fé, reavivamento da nossa conduta. Reforma do nosso ser interior, reavivamento das nossas ações exteriores. Reforma dos nossos sentimentos, reavivamento de nosso desejo por Deus. Grande crescimento da Igreja após a reforma e o reavivamento virá onde todas as condições estiverem acertadas à luz da Palavra de Deus. O reavivamento e a reforma provocarão uma grande colheita, uma grande conquista ao ter elementos certos e valores corretos que desfrutem da aprovação do Eterno Deus.
“Ouvi, SENHOR, a tua palavra, e temi; aviva, ó SENHOR, a tua obra no meio dos anos, no meio dos anos faze-a conhecida; na tua ira lembra-te da misericórdia.” (Hc 3.2)

[1] Heber Carlos de Campos. Crescimento de Igreja: Com Reforma ou com Reavivamento? Revista Fides Reformata. 1996

6 comentários:

Newton Carpintero, pr. disse...

Prezamado pr. Sérgio Pereira,

A paz do Senhor!

Maravilhosa postagem que edifica e valoriza os rumos da igreja, e se torna uma grande ofensa aos que tentam transformar, a igreja em uma igreja repleta de reteté, muitas heresias e eventos que não dignificam a Deus, mas estão como que mortas diante de Deus.

O Senhor que lê os corações, possa mais uma vez, em sua misericórdia envergonhar aos que tentam sufocar a igreja e transformá-la, em um joguete nas mãos do inimigo das vidas, e assim, levantar homens sem temor e com muita coragem para Tocar a Trombeta e anunciar ao povo a sua transgressão, exigir arrependimento e sarar os enfermos de coração, levantar os feridos e avivar a sua obra, nestes últimos dias do Final dos Tempos.

Que o nosso desejo seja o de estar como exemplo no meio dos homens.

O Senhor seja contigo!

pr. Newton Carpintero
www.pastornewton.com

Pr. Sérgio disse...

Prezado Pastor Newton Carpintero, Graça e Paz!
Como sempre, suas palavras são dotadas de um equilibrio maravilhoso e de uma autoridade incomparável. Nosso objetivo é exatamente esse: tornar nossas palavras e reflexões uma ofensa àqueles que inescrupolosamente se ocupam em denegrir a imagem da noiva de Cristo através de seus modismos e "carros novos". Que o Senhor nos ajude!
Um forte abraço!
Pr. Sérgio Pereira

Marcello de Oliveira disse...

Shalom!

1. Amado Pr. Sérgio, parabenizo pela lucidez deste ótimo texto. Como diziam os puritanos:

"Ecclesia reformata et semper reformanda est" A igreja reformada está sempre se reformando.

O Eterno abençoe sua destra pena,

Pr Marcello Oliveira

P.s Veja a entrevista com o Pr Geziel Gomes. Vale a pena ler!

Pr. Sérgio disse...

Nobre Pr. Marcelo, obrigado por sua visita e comentário. Que possamos sim, cumprir os propósitos da citação latina por você mencionada em seu comentário: "Ecclesia reformata et semper reformanda est" A igreja reformada está sempre se reformando. Um forte abraço!
Pr. Sérgio Pereira

Pb. Juari Barbosa disse...

Caro Pr. Sérgio Pereira, a paz do Senhor!!
quero parabeniza-lo pelo post maravilhoso, teológico e pedagógico, que o Senhor lhe conserve assim, um expositor de sua poderosa Palavra.

Em Cristo,
Pb. Juari Barbosa
Doulos Cristou Iesou

Pr. Sérgio disse...

Caro Pb. Juari Barbosa, graça e paz!
Obrigado pelo carinho e incentivo. Sua participação nesse blog é sempre bem vinda. Um forte abraço!
Pr. Sérgio Pereira