quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Compreendendo Melhor o Sofrimento

Por Pastor Sérgio Pereira

Sofrimento: eis um assunto um tanto falado e tão pouco explicado em nosso meio. O sofrimento do cristão torna-se assunto das campanhas das famosas noites de libertação, onde se promete o alívio imediato, a solução rápida, como se num passe de mágica tudo se resolvesse. Mas, não é tão simples assim. Nem sempre estas soluções imediatistas que foram “profetizadas” por “vasos” acontecem. Os tais “profetas” se enriquecem a custa dos sofrimentos de muitos incautos cristãos que continuam enviando suas “sementes de fé” para verem se conseguem um pouco de alívio em meio a tanto sofrimento.
Mas, afinal por que tantas pessoas, independente se são boas ou más, precisam sofrer tanto? Como pode Deus permitir isto? O diabo é tão forte que Deus não possa impedir o mal? É Deus o causador de tantas desgraças? Estas são apenas algumas perguntas pelas quais os filhos de Deus se confrontaram ou se confrontarão um dia na sua existência. A Bíblia Sagrada tem respostas para tais perguntas e questionamentos.
O sofrimento é dolorido. Às vezes, parece que tudo se foi, que qualquer restauração é impossível. Uma coisa é certa: somente a velha natureza precisou morrer. São somente escórias que cai, a firmeza espiritual em nós pode suportar as provas de fogo e não perecer. Cada cristão tem uma capacidade diferente para suportar a provação (I Co 10.13). Jesus nos ajuda a levar a pesada cruz até o fim. Nosso homem interior se renova diariamente, diz o apóstolo Paulo, até que sejamos transformados na imagem de Cristo. As provações são concedidas, para manifestar a nós e aos outros o que realmente está dentro de nós.
Entre os propósitos do sofrimento na vida do cristão podemos destacar os seguintes:
Ø O sofrimento nos ajuda a vencer o pecado (I Pe 4.1-3)
Ø O sofrimento nos ajuda a testemunhar de Cristo (I Pe 4.4-6)
Ø O sofrimento nos ajuda a manifestar um terno amor pelos irmãos (I Pe 4.7-9)
Ø O sofrimento nos ajuda a colocar os dons que Deus nos deu a serviço de seu povo (I Pe 4.10,11)
Precisamos entender e compreender que o sofrimento do cristão é a prova do genuíno relacionamento de amor existente entre o Pai celestial e seus filhos, pois “o Senhor corrige o que ama e açoita a qualquer que recebe por filho” (Hb 12.6,8). O sofrimento ajuda a treinar o cristão a ser obediente ao Pai celestial para ter vida (Hb 12.9). O sofrimento faz parte do processo educativo pelo qual o cristão é capacitado a desfrutar da santidade de Deus no seu viver prático e diário (Hb 12.10), é em outras palavras, ter a capacidade de afirmar o que Paulo afirmou: “Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé do Filho de Deus, o qual me amou e se entregou a si mesmo por mim” (Gl 2.20). Todo sofrimento traz no momento a sensação de tristeza, desapontamentos, mas produz o fruto de justiça em sua vida (Hb 12.11).
É necessário entender através da fé que todas as coisas cooperam para o nosso bem (Rm 8.28). Paulo fala muito sobre a realidade da luta, da dor do sofrimento e da morte. O que é negativo, é visto do lado divino: “Porque, se tomamos parte dos sofrimentos de Cristo, também tomaremos parte na sua glória. Eu penso que o que sofremos durante a nossa vida não pode ser comparado, de modo nenhum, com a glória que nos será revelada no futuro. O universo todo espera com muita impaciência o momento em que Deus vai revelar o que os seus filhos realmente são” (Rm 8.17b-19 NTLH). Esta visão parte do pressuposto que o Senhor tem sempre o melhor para nós. Além disso, tudo ganha sentido, sob o ponto de vista e a orientação magistral de Deus. Se pudéssemos ouvir e entender a expressão de sofrimento dos campos, das florestas e de todo o gênero animal, então teríamos uma visão do que significa a “ardente expectativa da criação”, e sua ânsia de libertação. A hora vem onde a vitória de Jesus se tornará manifesta.
Homens de Deus de todas as épocas sentiram e viveram a dura realidade da dor e sofrimento mas permaneceram firmes em todos os transes. Às vezes, a provação dura muito tempo, até séculos sem uma mudança aparente, outras vezes é como uma chuva de verão. Certo é de que todo o sofrimento é apenas para nos provar, nunca para nos destruir (I Pe 4.12).
Ao permitir que o sofrimento bata à nossa porta, Deus está nos dando a oportunidade de crescimento espiritual (II Pe 3.18), permitindo que nos tornemos participantes dos sofrimentos de Cristo Jesus (I Pe 4.13) e desejando que ao enfrentar as intempéries da vida, tenhamos uma alegria indizível na alma, tendo ciência de que a prova da fé produz paciência (Tg 1.2; Rm 5.3; Mt 5.11,12).
O Senhor Jesus não é exaltado pelo sofrimento, mas sim, quando o louvamos em meio ao sofrimento. Por esse motivo, o cristão é chamado a dar um testemunho para outros que se acham amargurados, na mesma situação, desesperados. Os primeiros cristãos aprenderam depressa que é através de muita dor e sofrimento que importa entrar no Reino dos Céus. A maioria dos cristãos primitivos sofreram por causa da fé. Todavia, a comunidade crescia cada vez mais. Mas, então o sofrimento gera crescimento na Igreja? Obviamente que não, mas pela perseverança, fidelidade e amadurecimento dos cristãos em meio aos sofrimentos é que veremos o crescimento do Reino.
Lembre-se: Deus não nos poupa do sofrimento, mas caminha conosco pelo sofrimento!

5 comentários:

Marcello de Oliveira disse...

shalom!

1. Parabenizo por tão elucidativo artigo. Em tempos de tanta prosperidade e sucesso, ouve-se uma voz que clama!

2. Permita-me corrobar com este texto, elucidando duas idéias:

A) O sofrimento é pedagógico – A dor sempre tem um propósito, mais que uma causa. Deus não desperdiça sofrimento na vida de seus filhos. C. S Lewis disse: “Deus sussurra em nossos prazeres e grita em nossas dores”. Se Deus não remove o ‘espinho’ é porque Ele está trabalhando em nós para, depois, trabalhar por meio de nós.


2) Há um propósito divino em cada sofrimento (II Co 12.7) – Há um propósito divino no sofrimento. No começo desta carta (II Co 1.3) Paulo diz que o nosso sofrimento e a nossa consolação são instrumentos usados por Deus para abençoar outras pessoas. Na escola da vida, Deus está nos preparando para sermos consoladores.

Concluo com uma pérola: O sofrimento nos coloca de joelhos diante de Deus, para nos manter de pé diante dos homens.

Nele, o Deus de toda a graça

Pr Marcello Oliveira

Pr. Sérgio disse...

Pr. Marcelo, graça e paz!
Que possamos aproveitar o período da escola do sofrimento para crescermos diante de Deus e dos homens. Obrigado pela visita e comentário.
Nele, o Deus que nos ensina nas tormentas e nas tempestades (Na 1.3)
Pr. Sérgio Pereira

Pastoragente disse...

Graça e paz!
“Andando” por aí cheguei até o seu Blog e quero te parabenizar pela bênção que pude ver aqui.
Já estou te seguindo e será uma honra te receber no pastoragente.blogspot.com.
Se quiser segui-lo vai ser uma alegria pra mim.
No blog conto da forma mais realista e divertida possível as realidades, dúvidas e experiências de uma simples pastora como eu.
Fique na paz. Um abraço.

Pr. Sérgio disse...

Amada Pastora, graça e paz!
A alegria é minha ao receber sua visita por aqui e ter a honra de vê-la como minha seguidora. Um forte abraço!

martins111 disse...

Primeiramente ao adentrar nesta página reconheço seu valor e a importância de seu autor para a nobre causa do Senhor Jesus Cristo.
Dito isso, quero convidar você que está lendo estas minhas palavras, a prestar um pouco mais de atenção as revelações do Espírito Santo Verdadeiro em nossos dias.
Por se tratar de um assunto de interesse universal, pediria sua amável atenção, em uma breve, mais com certeza, produtiva visita ao nosso blog, onde estão depositadas Revelações do Senhor Jesus Cristo, para as quais peço encarecidamente que nos ajude a divulgar. Pois estamos vivenciando um memento muito sensível da palavra profética. Desde já suplico as bênçãos do Pai, do Filho e do Espírito Santo Verdadeiro sobre todo aquele que atender esse nosso chamado em nome do Senhor Jesus Cristo. Clique em martins111 - João Joaquim Martins. OU http://joaorevela.blogspot.com/