segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Uma Espiritualidade Equilibrada

Por Pastor Sérgio Pereira

Certamente todos os cristãos devem concordar que vida cristã é vida no Espírito. É impossível conceber a vida cristã sem a transformação causada pelo Consolador, sem sua orientação e sem seu auxílio. E que esta vida cristã é chamada de espiritualidade. Todo ser humano é portador de espiritualidade.
Espiritualidade não é algo elevado demais, místico e emocional. Não diz respeito à vida apenas à vida contemplativa, à adoração e a comunhão com Deus e com os irmãos. Ela sai do terreno da teoria, dos achismos, do emocionalismo fútil e barato para entrar no campo da prática, que é a prova cabal e verdadeira de que ela realmente existe e é legítima.
A Bíblia Sagrada fornece todos os dados dessa espiritualidade prática. Paulo em Filipenses 2.5 nos exorta com as seguintes palavras: “Tende em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus”. Somos exortados a servir, a seguir o Mestre nas suas ações, direções e lições. É dessa experiência radical e transformadora que brota nossa espiritualidade. É o Espírito de Deus que se derrama como unção de óleo e em nós imprime seu estilo de vida e sua missão.
Nosso modelo de espiritualidade é o Cristo homem em sua perfeita união com o Pai e inteiramente entregue ao trabalho de divulgação do Reino de Deus. Jesus nos remete à sua maneira de viver com o Pai como princípio e modelo de nossa vida e ação.
Nossa vida espiritual tem de transbordar de amor sem limites. Nossa tarefa é sermos sinais do carinho de Deus por sua criação, que geme e chora aguardando o momento da sua libertação. Na autêntica vida cristã carregada de espiritualidade, não há concorrência de dois amores. Se nos entregamos verdadeiramente a Deus, Ele, em sua bondade, nos devolve a nós mesmos e às outras pessoas.
A espiritualidade engloba prática pois na busca dela você deve ir em busca do Eterno, entendendo que a vida depende dessa busca por Deus (Am 5.4). A espiritualidade prática e autêntica consiste na prática do bem (Rm 12.9-21). Espiritualidade Cristã é uma escolha que fazemos para “conhecer e crescer” no nosso relacionamento diário com o senhor Jesus Cristo ao submeter-nos ao ministério do Espírito Santo em nossas vidas. Isso significa que, como Cristãos, fazemos a escolha de manter uma comunicação com o Espírito que é aberta e limpa através de confissão (1 Jo 1.9).
Espiritualidade é também caminho de encontro com o Espírito, que é origem de toda a vida, afirma também Leonardo Boff, explicitando que o espírito que é a dimensão profunda do humano, busca o Espírito que é fonte originária de onde brota e para onde se dirige toda a vida. “Espírito é a capacidade de identificar o fio condutor que por tudo penetra e tudo interconecta, chamando-se de mil nomes, como Energia suprema, Espírito infinito, Fonte originária de todo ser ou simplesmente Deus”. [1]
À luz do texto de Atos 2.42-47, que relata o equilíbrio da Igreja Primitiva podemos extrair princípios fundamentais para a prática autêntica de vida cristã e espiritualidade. Vejamos:
1. SABER X REALIZAR: UMA ESPIRITUALIDADE QUE PERSEVERE NA SÃ DOUTRINA E MANIFESTE GRANDE PODER - “E perseveravam na doutrina dos apóstolos... e muitos sinais e prodígios eram feitos”. Através de uma vida crista alicerçada na sabedoria da Palavra de Deus poderemos realizar muitos feitos que produzirão efeitos extraordinários para o Reino de Deus. Através de uma autêntica busca do divino na leitura devocional e aplicativa da Bíblia Sagrada, muitos sinais e maravilhas poderão ser evidenciados em nosso meio.
2. TEMPLO X CASA: UMA ESPIRITUALIDADE QUE VALORIZE O CULTO COMUNITARIO E QUE DESENVOLVA GRANDE COMUNHAO DE CASA EM CASA - “Perseveravam unânimes no templo e partiam o pão de casa em casa”. O culto deve ser o êxtase da espiritualidade, o ponto máximo da adoração e do louvor, o ápice do encontro do humano com o divino, do pecador com o sagrado. Mas, note que o culto deve ser comunitário, ou seja, se o ambiente do culto não for cultivado a luz de relacionamentos saudáveis, isto não é espiritualidade. No desenvolver de relacionamentos saudáveis haverá também notável comunhão diária, observada nas expressões “de casa em casa”.
3. ORAÇÃO X CRESCIMENTO: UMA ESPIRITUALIDADE QUE REVELE TOTAL DEPENDENCIA E POR ISSO ALCANCE GRANDES RESULTADOS - “Perseveravam... nas orações... enquanto isso acrescentava-lhes o Senhor dia-a-dia, os que iam sendo salvos”. Como precisamos retornar à dependência verdadeira do Senhor. Ele mesmo já dissera: “sem mim nada podeis fazer” (Jo 15.5). É exatamente a busca do Reino de Deus em primeiro lugar, as demais coisas são acrescentadas (Mt 6.33). Ao dependermos de Deus alcançaremos resultados extraordinários. Jeremias vaticinou: “Clama a mim e responder-te-ei cousas grandes e firmes que tu não sabes” (Jr 33.3)
4. SINGELEZA X SATISFAÇÃO: UMA ESPIRITUALIDADE QUE DESCUBRA O VALOR DAS COISAS SIMPLES E EXPERIMENTE NELAS GRANDE ALEGRIA - “E tomavam suas refeições com alegria e singeleza de coração”. Precisamos crer no sobrenatural de Deus, mas não podemos nos esquecer que Deus nos usa nas coisas simples e naturais do dia-a-dia. Precisamos entender que coisas simples, pequenas podem surtir efeitos positivos jamais imaginados. Precisamos voltar a nos alegrarmos nas simples refeições com os familiares e com os amigos, sentir prazer no sorriso meigo e carinhoso de uma criança, sorrir ao sentir a frescura da brisa do amanhecer, ser grato por um simples gesto de carinho recebido de qualquer pessoa. Precisamos voltar a nos alegrarmos com as pequenas conquistas, os testemunhos de curas simples, já tão raros em nossos dias. E precisamos enxergar Deus nos mínimos detalhes de nossa vida. Precisamos redescobrir a beleza e a riqueza da vida simples, precisamos abrir os nossos olhos para que percebamos que o que nos falta hoje transbordava na vida de nossos avós, que nem sonhavam em ter as comodidades que possuímos. É, talvez resida exatamente aí a nossa grande diferença, nos nossos sonhos. Aparentemente toda a parafernália que compramos para viabilizar nossas vidas civilizadas cobra um preço mais caro que o que vem escrito na etiqueta. E há tudo aquilo que, ainda, não possuímos e que nos motiva a lutar, não pela sobrevivência, mas pela sobressalência (perdoem o neologismo). Deus é simples e singular, há muito a teologia já nos havia dito isto, hoje estamos aprendendo que para que nos aproximemos dele devemos fazer uso da mesma simplicidade e singularidade, “ter a alma e o corpo nus”.
5. DAR X RECEBER: UMA ESPIRITUALIDADE QUE ABRA MAO DO “TER”, QUE VALORIZE O “SER” E VIVA FELIZ COM O NECESSÁRIO - vs. 44,45. A comunidade primitiva vivia num corporativismo inigualável. Estavam juntos, tudo lhes era comum, repartiam seus lucros com todos, e conforme a necessidade de cada um. Era uma comunidade que evidenciavam na prática quais eram seus valores e prioridades. Eles não iam em busca do “ter”, eles priorizavam o “ser”. Na esfera bíblica o “ser” vem antes do “ter”. Na vida cristã para ter, você precisa ser, e antes de tudo, você precisa aprender a viver feliz com o que já possui. Paulo evidencia isso ao escrever aos filipenses: “Não digo isto como por necessidade, porque já aprendi a contentar-me com o que tenho. Sei estar abatido, e sei também ter abundância; em toda a maneira, e em todas as coisas estou instruído, tanto a ter fartura, como a ter fome; tanto a ter abundância, como a padecer necessidade. Posso todas as coisas em Cristo que me fortalece”. (Grifo nosso. Fp 4.11-13).
6. COMUNHAO X MISSÃO: UMA ESPIRITUALIDADE QUE AME OS “DE DENTRO” E TENHA GRANDE SIMPATIA COM OS “DE FORA” - “E perseveravam... na comunhão... e contavam com a simpatia de todo o povo”. Quando o mundo observar que a Igreja vive numa perfeita koinonia, certamente teremos receptividade da nossa mensagem, respeito pelos nossos princípios e posicionamentos sociais e acima de tudo experimentaremos um vertiginoso crescimento. A essência do cristianismo está em amar o próximo, em oferecer a outra face, a dar a capa, a andar a segunda milha, amar os inimigos, bendizer os que nos maldizem, fazer o bem a quem nos odeia e orar pelos que nos maltratam (Mt 5.39-41,44). Quão difíceis são estas palavras de Jesus! E quão distantes estamos de cumpri-las. Nossa praticidade cristã distancia-se do viver em comunidade como ensina esses textos bíblicos, vivenciando apenas teoricamente um cristianismo de fachada, de aparência, com uma casca de piedade mas sem nenhuma essência. Apenas um verniz que tampa a mediocridade de nossa fé. Julgamos as pessoas sem dar a elas o direito de serem o que são. Expomos as falhas do nosso irmão sem nos importamos com a particularidade e a individualidade de cada um. Falhamos com o que prometemos uns aos outros. Arrumamos muitas desculpas para nos afastar de uma prática de vida em comunidade.
Se colocarmos em prática o exposto acima, vivenciaremos uma espiritualidade prática, autêntica e equilibrada! Que Deus nos ajude!

[1] Leonardo BOFF, Depois de 500 anos, que Brasil queremos?, São Petrópolis, Vozes, 2000,, p. 99.

6 comentários:

Marcello de Oliveira disse...

SHALOM!

Pr Sérgio, louvo ao Eterno por sua vida. Este texto é um banquete da Palavra. Por que permanecer no raso, se podemos ir ao mar alto? Prossiga amado!

Deixo-lhe esta pérola:

"A melhor medida de uma vida espiritual não são os êxtases, mas a obediência" Oswald Chambers

Nele, Pr Marcello

P.s Já começou a escrever seu livro? Está esperando o quê? Vamos eternizar as palavras!

Pr. Carlos Roberto disse...

Caro Pr. Sérgio Pereira,

A paz do Senhor!

Glórias a Deus!
Seu texto é um manancial de águas profundas e cristalinas, retiradas da fonte maior a Palavra de Deus!
Obrigado pela indicação1
Fui muito abençado ao lê-lo!

Um grande abraço!
Pr. Carlos Roberto

Pr. Sérgio disse...

Pr. Marcelo, graça e paz!
Obrigado pelo carinho e incentivo. Que juntos possamos ir ao mar alto. Quanto ao livro, bem, estamos sonhando! Um forte abraço!
Pr. Sérgio Pereira

Pr. Sérgio disse...

Pr. Carlos, graça e paz!
Sua visita sempre enobrece esse blog. Fico feliz que esse texto tenha o edificado. Aguardo entusiasmado a oportunidade que Deus nos dará para nos conhecermos pessoalmente.
Um forte abraço!
Pr. Sérgio Pereira

Presbítero Rubens Herbst disse...

Paz do Senhor,meu amigo e Pastor Sérgio pereira venho por meio desta lhe informar que meublog foi alterado,peço-lhe por meio desta que venhasegui-lo,fique com Deus...

Presbítero Rubens Herbst disse...

http://pbrubensherbst.blogspot.com/